Sunday, January 18, 2009

O FUTURO DA MÚSICA DEPOIS DA MORTE DO CD

O Futuro da Música Depois da Morte do CD é um livro-coletânea on-line que pode ser baixado da Internet. Sua licença é Creative Commons. A cópia é completamente liberada para uso não-comercial. O livro editado e disponibilizado em PDF ficará no site http://www.futurodamusica.com.br, a partir do dia 22 de janeiro.

O debate sobre o impacto das redes digitais na criação, produção e distribuição da música não é novo. Entretanto, poucos livros brasileiros reuniram diversos olhares de diferentes áreas do conhecimento para analisar a atual realidade musical. Navegando no mar revolto da digitalização em oceanos da propriedade intelectual, a coletânea discute as mudanças históricas no perfil e no papel dos músicos, compositores e intérpretes. Mixando o discurso acadêmico com os argumentos de quem vive de música no dia-a-dia, a coletânea O Futuro da Música Depois da Morte do CD é extremamente polêmica e útil nos debates sobre a reformulação da lei de copyright, para a formulação de políticas de incentivo à criação artística e à manutenção da diversidade cultural.

Os 16 autores partem da perspectiva da engenharia da produção, da sociologia, da teoria da comunicação, da musicologia, da filosofia e da interpretação e composição musicais, além da própria atividade empresarial. A única base comum dos textos é o reconhecimento das profundas mudanças que a digitalização e as redes informacionais trouxeram para o universo da música. Um dos objetivos da coletânea é mostrar a complexidade e as grandes diferenças teóricas, analíticas e prospectivas que existem entre aqueles que estão pensando o tema.

O FUTURO DA MÚSICA DEPOIS DA MORTE DO CD será lançado no Campus Party, dia 22/01, às 20 horas no palco da área de mũsica do evento #cparty.

O livro conta com os seguintes capítulos:

Introdução de Irineu Franco Perpetuo
Impacto da tecnologia na cadeia da música: novas oportunidades para o setor independente. João Leão e Davi Nakano
A música na época de sua reprodutibilidade digital. Sergio Amadeu da Silveira
CD Morreu? Viva o vinil! Simone Pereira de Sá
O MP3 e o fim da ditadura do álbum comercial. Alice Tomaz de Carvalho e Riverson Rios
Fãs-usuários-produtores: uma análise das conexões musicais nas plataformas sociais MySpace e Last.fm . Adriana Amaral
O impacto das novas tecnologias sobre o estudo de piano. Eduardo Monteiro
Valor da música. Andre Stangl e Reinaldo Pamponet Filho
Música Antiga e mídias modernas. Ricardo Bernardes
A criação musical erudita e a evolução das mídias: dos antigos 78rpms à era pós-CD. Harry Crowl
“Cordel da banda larga”: a canção de Gilberto Gil e as perspectivas da sociedade em rede. Laan Mendes de Barros
E agora, o que eu faço do meu disco? Pena Schimidt
Mudança dos ventos à vista. Chico Pinheiro
O mundo mudou bem na minha vez... André Mehmari.

9 comments:

Adriana Amaral (Lady A.) said...

Oi Sergio, estou louca pra ver o livro! Nos falamos no CParty entao. abs e obrigada pela oportunidade de participar dessa coletânea que vem aumentar a bibliografia sobre um assunto tão polêmico.

Tekhnè said...

Parabéns a todos!

Fred said...
This comment has been removed by the author.
Anselmo said...

Putz, o www.futurodamusica.com.br tá fora do ar neste momento. Será que foi azar ou algum problema técnico? Também fiquei interessado.

Antonio B Duarte Jr said...

Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Neste momento já estou baixando o livro, afinal, é recomendação sua, deve ser ótimo... Quando for possível dá uma passadinha para ver meu Curso de Informática à Distância. Antonio B Duarte Jr.

Roney Belhassof said...

Olá, desculpe usar o comentário para uma pergunta que não tem quase nada a ver com o post, mas estou escrevendo um artigo sobre o debate hoje aqui no Campus Party e não quero correr o risco de ter anotado errado o que vc disse. Pode apagar esse comentário se quiser.

Eu destaquei os seguintes pontos do que vc disse:

===
* Internet não é midia como jornal, tv ou rádio, ela é um espaço de exercício democrático
* O texto da lei é tão vago que até mesmo papel e caneta podem ser considerados um meio de transmissão ilegal de dados
* Que o DRM viola os nossos direitos conquistados no código de defesa do consumidor e que temos que ter, por exemplo, o direito de transferir as músicas que compramos para o nosso computador ou iPod
* Nos EUA 18 mil adolescentes foram processados por trocar músicas
* Mostrou uma menina com pouco mais de 10 anos que foi processada nos EUA por escrever uma fanfic inspirada nos personagens de Harry Potter
* Com a nova lei será crime criar fanfics também no Brasil e nossas mentes criativas terão medo de criar
* Mostrou um roteador mesh, uma tecnologia que pode criar um ambiente mais democrático de acesso à Internet e que se tornaria crime
* Apresentou o TOR que permite anonimidade na Internet e que tem sido usado por organizações democráticas para combater ditaduras que restringem a liberdade de expressão.
* Mostrou que os criminosos terão sempre recursos como o TOR que lhes garantirá invisibilidade e que a única vítima caso essas leis sejam aprovadas será o cidadão comum
====

Se entendi qq coisa errada me avise pelo email por favor: roney@memedecarbono.com.br

Anonymous said...

http://miami.indymedia.org/news/2008/06/11229.php

internet providers and the end of the internet by 2012

Leandro said...
This comment has been removed by the author.
leandrosalem said...

Sérgio. No topo do seu blog a alguns caracteres assim: "Blogger sinalizou este blog por conteudo improprio".
Isto esta acontecendo com muitos blogs. Estao desparecendo do dia para a noite.
O texto esta na mesma cor do background, o que dificulta ser achado.
Abs!