Tuesday, August 14, 2007

MONOPÓLIO QUER APROVAR OOXML SEM PROVAR QUE FUNCIONA...

No dia 21 de agosto, a ABNT se reunirá para decidir qual será o voto do Brasil sobre o OOXML na ISO. Fiz esta entrevista com o Marcelo Marques, diretor da 4Linux. Ele está acompanhando as reuniões da ABNT sobre o padrão OOXML. Ela esclarece a tática do monopólio que tenta usar seu poder econômico para capturar o voto do Brasil. Sem responder nenhuma objeção técnica, sem ter implementado o padrão OOXML em nenhum aplicativo, ou seja, sem provar que ele funciona, o monopólio corre o risco de desmoralizar os processos de decisão técncia da ABNT.
Segue a entrevista:


1) Marcelo, o grupo técnico da ABNT tem conseguido provar que as falhas e erros encontrados no proposta de padrão OOXML não são reais?

MARCELO MARQUES: Oi Sergio, na verdade eu não sei com absoluta certeza. Não faço parte do grupo técnico. O que eu sei é que a ABNT não quer discutir questões técnicas que ela julga "não técnicas", como por exemplo sabermos ou não se o OOXML obriga o cliente a depender de aplicações proprietárias da
Microsoft. Questões simples como essa, a ABNT não quer discutir, ela considera como "questão não técnica". No entanto, até onde eu sei, isso é crucial para adoção de um padrão e um voto do País como o Brasil. Imagine que fossemos aprovar o uso de polegadas, e somente uma empresa no mundo é capaz de calcular corretamente essa polegada. Ficaríamos reféns desta empresa. Existem outras dúvidas que não estão sendo respondidas e a ABNT não deixa entrar em pauta.


2) Como será a decisão da ABNT? Onde estão escritas as regras do jogo?

MARCELO MARQUES: Não sei ao certo, mas me parece que o grupo não terá total poder de voto. Posso estar enganado, mas mesmo que expressemos nossa opinião baseada em conteúdo e fatos técnicos , a ABNT pode dar o voto dela como bem preferir sem levar em conta o que estamos expondo. Ela pode nos ouvir, mas votar do jeito que bem entender. Pelo menos é assim que a ABNT está me ensinando, quando ma rca com nossa opção uma reunião em Brasília e depois desmarca, nos dando opção apenas São Paulo ou Rio de Janeiro. Por incrível que pareça, depois de nos negar Brasília já escolhida anteriormente, votamos São Paulo e saímos com o voto para São Paulo. Quando abro meu email, descubro que a ABNT mudou de São Paulo para o Rio de Janeiro. A ABNT está me ensinando que é assim que ela trabalha, então acredito que a ABNT é quem decidirá o voto do Brasil e ponto final.


3) É verdade que empresas que dependem da microsoft estão indo votar como se fossem independentes?

MARCELO MARQUES: Isso eu não sei. O que eu sei, é que tem muita empresa lá dentro que vive da Microsoft. Revenda ou não. Estranho a ABNT não fazer um esforço bem maior para colocar outras entidades mais isentas. O que sei também é que pessoas representando empresas compradoras do OOXML como o governo, tinham já se programado para a reunião de Brasília, mas com força da ABNT (ou talvez mais entidades), esta reunião foi (re)votada para São Paulo e depois para o Rio de Janeiro. A maioria (produtor de tecnologia, não consumidor) não quis nem saber do Governo e das entidades que estavam lá, que são compradoras. Exceto ODFAlliance, IBM, RedHat, Google, 4Linux e poucas outras que lembraram bem que eles eram os maiores clientes, viraram as costas para estas entidades que serão as futuras usuárias de padrões, inclusive a própria ABNT. Essas mesmas revendas que viraram as costas para o Governo, são as mesmas que o procuram para comprar seus produtos e serviços. No meu voto, pedi desculpas ao governo e votei São Paulo, pois só me deram a opção São Paulo ou Rio de Janeiro. A ABNT falhou mais uma vez em não avisar antecipadamente que não poderia fazer em Brasília a reunião. Faltou gerência ou então foi intencional.


4) Foi apresentado algum teste concreto de aplicação das 6 mil páginas do padrão OOXML em algum software que não seja da micro$oft?

MARCELO MARQUES: Bem, se fosse colocado um teste concreto, forte, com tempo, planejamento, sem pressão, com responsabilidade de visão do todo e que abordasse várias questões técnicas com total abertura por parte da ABNT, dificilmente o OOXML não seria melhorado. Eu votaria sim, hoje meu voto é não pois tem muitos problemas e perguntas técnicas não respondidas e que a ABNT procura fugir.
A 4Linux votaria sim para um padrão que realmente fosse aberto e independente de aplicação, pois teríamos mais clientes e mais negócios.


5) Você coordenou um debate com a micro$oft sobre o OOXML na 4Linux. Eles conseguiram provar que não existem componentes patenteados ou de propriedade exclusiva da micro$oft no padrão que estão propondo?

MARCELO MARQUES: Bem, primeiro eles foram bastante educados em comparecer. Isso eu gostaria de agradecê-los. Gostaria que eles dessem à empresas de Linux o mesmo espaço em um evento deles, sem que essas empresas tivessem que assinar pesados contratos de parceria.
Sobre sua pergunta, eu senti que eles fugiam de algumas respostas que poderiam colocá-los em xeque. Basta ouvir em Inglês a pergunta que fiz para a Microsoft no BotecoNet. Fiz mais de 04 vezes a mesma pergunta "Is OOXML Application independence?". A Microsoft não é clara na resposta
http://www.4linux.com.br/boteconet - Quando questionada se Jesus Cristo não nasceu no ano zero, ela culpa a planilha Lotus. É uma entrevista no mínimo curiosa. Tem as perguntas em português que também são muito boas. As respostas eu deixo para os internautas avaliarem e tirarem suas
conclusões.


6) O que as pessoas devem fazer em defesa de um padrão aberto que incentive a concorrência e a qualidade de aplicativos de documentos? O que fazer para evitar que o poder monopolista deslegitime um órgão técnico como a ABNT?

MARCELO MARQUES: Sergio, sobre a primeira pergunta, eu acredito que é participar mais de decisões da sociedade, ou manifestando sua visão em Blogs como este ou criando o seu. Sobre a segunda pergunta, eu acho que em uma próxima oportunidade, a ABNT deveria exigir representantes do código de defesa do consumidor, mais universidades, e procurar brecar uma quantidade exagerada de revendas ou dependentes de um único fabricante. Isso já ajudaria bastante, mas o mais importante, seria a ABNT não querer colocar em questão perguntas que ela classifica como "não técnicas". Até concordo que algumas perguntas possam ser difíceis de serem avaliadas num primeiro momento como técnicas hoje. Ha 100 anos atrás ela realmente não seria técnica, mas hoje nunca. Sabendo o poder que o código tem e que ele é "bastante invisível", as perguntas devem ser feitas à exaustão para evitar um erro do nosso País no momento do voto.

3 comments:

LilianeMoiteiro said...

...infelizmente a ABNT é uma instituição meramente burocrática...nunca esteve nas escolas (pelo menos não nos 25 anos em que frequento a instituição escolar)de ensino básico ou superior, para desenvolver projetos e mostrar à população discente o motivo de sua existência, apenas cumpre o papel de impor regras burocráticas para instituir o "conhecimento" científico. Nunca se importou em mostrar motivos ou ferramentas para produção e disseminação de conhecimento...quer apenas status e lucro...o que a M$ com certeza, pode oferecer...
:(
...luta inglória na ABNT...(Liliane)

LilianeMoiteiro said...

...infelizmente a ABNT é uma instituição meramente burocrática...nunca esteve nas escolas (pelo menos não nos 25 anos em que frequento a instituição escolar)de ensino básico ou superior, para desenvolver projetos e mostrar à população discente o motivo de sua existência, apenas cumpre o papel de impor regras burocráticas para instituir o "conhecimento" científico. Nunca se importou em mostrar motivos ou ferramentas para produção e disseminação de conhecimento...quer apenas status e lucro...o que a M$ com certeza, pode oferecer...
:(

Henrique-jdn-ce-br said...

Imagine um dia, você ir abri um documento e aparecer um aviso dizendo que seu documento só pode ser aberto se tiver o programa tal de tal empresa,mais esse programa custa caro e, você precisa ter acesso as informações do documento e, ai vai desembolsar tal quantia,vai adquirir uma copia pirata do tal programa ou simplimente ficarar no projuito ?

È melhor ter opções de escolha com um padrão realmente aberto, do que viver aprisionado num mundo Proprietario........