Tuesday, December 11, 2007

TELECENTROS DE SP: DEBATE MOSTRA SUPERIORIDADE DO SOFTWARE LIVRE...


O Movimento Nossa São Paulo promoveu, ONTEM, dia 10 de dezembro, um debate sobre o uso de Software Livre nos Telecentros de São Paulo. Em outubro, a Prefeitura Municipal e a Microsoft assinaram um protocolo de intenções. O protocolo mais parece uma peça de marketing para o monopólio mundial de software divulgar que conseguirá retirar o GNU/Linux dos telecentros.

O debate foi coordenado por Odilon Guedes e contou com a participação de Waldemar Junqueira Ferreira Neto, Coordenador Geral de Inclusão Digital da Prefeitura, e eu que fui responsável pela implantação do software livre nos Telecentros de São Paulo.

Waldemar Ferreira disse que não iria colocar windows nos telecentros. Falou que pensava colocar uma máquina com dual boot para poder utilizar um software proprietário para deficientes visuais. Disse que era democrático dar mais de uma opção aos usuários.

Alertei que a micro$oft sempre tentou retirar o software livre dos telecentros de São Paulo que atendem mais de 400 mil pessoas na periferia da maior cidade do país. Os telecentros funcionam desde 2001 com GNU/Linux, OpenOffice e Gnome, entre outros softwares livres. É a maior rede municipal de inclusão digital da América Latina. Quando estava implantando o software livre na rede, o monopólio disse que não iria funcionar, que as pessoas perderiam oportunidades de emprego e outras afirmações intimidatórias. Nada disso aconteceu. Várias vezes enquanto a rede windows da prefeitura caia, a rede dos telecentros continuava funcionando. Mais estável, mais barata, mais segura. Depois de sete anos, os telecentros mostram a força do software livre. Sensacional.

Falei para o Waldemar que esta história do windows garantir empregabilidade é papo furado. Hj em SP existem milhares de usuários avançados de micro$oft que estão desempregadas. Empregos existem para quem sabe tecnologias abertas, PHP, Java, Python, Perl, adminstração de redes Linux. Os empregos estão no mundo das tecnologias estáveis porque as empresas estão caminhando para as soluções abertas e livres. Outra coisa: muitos jovens talentosos da periferia, aprenderam a mexer e remexer no GNU/Linux e outros softwares livres porque tiveram acesso ao seu código-fonte aberto. Hojhe estão muito bem empregados. Sofware livre ajuda a desenvolver pesoas autonomas.

Entre outras coisas, disse ao Waldemar que era um absurdo falar em fazer um centro de reciclagem e recondicionamento de computadores com a micro$oft. Onde já se viu colocar o Windows Vista para rodar em máquinas recicladas! Piada. O Vista não roda em máquinas de última geração. Ele precisa de mais de 2 Gbs. Bom, chegou uma hora, o Waldemar disse que o Vista não poderia jamais ser colocado para manter o esquema que montei na Prefeitura (um servidor e 20 máquinas sem HD), pois teria que comprar vinte estações muito caras.

Um programador da platéia foi ao microfone e perguntou: "alguém aqui tem dúvida sobre a superioridade técnica do software livre nos telecentros em relação ao windows?" Os técnicos da prefeitura que lá estavam e o próprio Waldemar disseram de pronto que NÃO.

Ah! Quando comecei a falar disse que colocar dual boot além de não ser democrático era desnecessário, instável e visava apenas pagar licenças para a micro$oft. Deixei bem claro que quem garante democracia em SP é a rede GNU/Linux dos telecentros. Ela dá opções aos cidadãos. Mostrei que o "papinho da livre escolha" que a micro$oft divulga é uma falácia. Onde existe monopólio não há liberdade de escolha. O poder púbico usando GNU/Linux começa a quebrar este processo monopolizador e de aprisionamento dos usuários.

Uma confissão: na verdade eu uso dual boot... uso GNU/Linux e FreeBSD.

11 comments:

Hiro said...

Excelente Sérgio, mas particularmente para pessoas bem esclarecidas isso nem precisava ser debatido. SL tem inúmeras vantagens em comparação a esses "softwares".

Ivan Brasil Fuzzer said...

Não sei qual distribuição está rodando nos telecentros mas para deficientes visuais temos o programa Orca, no Ubuntum que faz a leitura de telas para programas escritos em GTK.
Já li inclusive o relato de um usuário que fez toda a instalação do sistema operacional utilizando o Orca, já que o usuário é deficiente visual.
Com softwares como este sendo distribuidos no mundo open source, vai por baixo a justificativa dos cidadãos de Redmond.

Slipk-Down said...

Piada este Waldemar

Marco said...

Como Um cego pode instalar a Distribuição Ubuntu

Marco said...

Linux e os Cegos
Cada vez mais os programas e sistemas operacionais Fonte Aberta (Open Source) vem conquistando as pessoas de todo o mundo, empresas, escolas etc, e como não poderia ser esquecido, também vem a conquistar os Deficientes Visuais.
O Linux, o sistema operacional Fonte Aberta mais difundido entre usuários doméstico, possui implementações que visa a acessibilidade dos Cegos em geral, havendo projetos, comunidades interessada em melhorar o acesso ao computador através do Linux por Cegos e algumas Distribuições Linux.
Uma Distribuição Linux, é organizada para uma determinada aplicação ou uma classe de usuários, com aplicativos voltados para os mesmos, organizado desde um Disquete, um CD a 10 CDs ou mais por exemplo, DVD e etc.
Apresento então, três Distribuições Linux que oferece suporte para os Cegos Brasileiros.
A primeira é o Linvox sendo baseada no Kurumin Linux, com o WINE instalado e o Sistema DOSVOX, desenvolvido pelo NCE/UFRJ.
A segunda Distribuição Linux, é o Oralux mantida por uma comunidade de usuários de vários países.
A terceira distribuição Linux, é o Ubuntu Linux conhecido em todo o mundo, além de ter vários aplicativos, possui ferramentas de acessibilidade que permite a utilização pelos deficientes!
O Linvox foi quem abriu o caminho, tornou possível a utilização maciça do GNU/Linux no Brasil pelos cegos; o Oralux foi uma distribuição menos utilizada pelos cegos brasileiros; o Ubuntu vem ganhando espaço entre os cegos brasileiros, dando a possibilidade de utilizar o ambiente gráfico com o leitor de tela Gnome-Orca, atraiu diversos cegos para a utilização desse sistema.

--
Fonte: Tiago M. C., cego, atualmente revisando a tradução do Orca.

Anonymous said...

Puxa Sergio, que descurso legal!!!
É isso aí, temos que mostrar para as pessoas que o Software livre é muito estável, diferente do Windows Vista, que tem muitos e muitos bugs.

Eu tenho 10 amigos que usavam o Vista e que agora usam o Gnu/Linux.
Eu era usuário de Windows, mas depois que conheci o Gnu/linux, me converti totalmente para o Gnu/linux, sendo que hoje quando vejo as pessoas usando windows, eu me sinto até mal!!

Rafael Rezende said...

Agora eu gosto ainda mais do meu Ubuntu!

Parabéns pelo empenho!

Dnoway said...

Parabéns Sérgio! =)

biande said...

Como podemos ver, em algumas postagens já pudemos ver que diversos companheiros indicaram uma alternativa a nossos amigos com necessidades especiais de acessibilidade (Orca, DOSVOX). É incrível como a micro$oft tem por princípio obter recursos através de FUDs. Não dá pra aceitar que uma empresa assim possa ter credibilidade alguma, pois se mentem em relação a produtos abertos que todos podem conferir, imagina o que fica escondido "embaixo" de seus binários. Grande Sérgio, tua atuação é inestimável para o mundo livre. Gostei muito de ouvir uma palestra tua, acredito que a um ou dois FISL atrás, quando ainda era presidente do ITI. Um grande abraço

Andre Noel said...

Olá Sérgio,

Repliquei sua notícia em meu blog e deixaram o seguinte comentário:

"Tá, mas qual é o desfecho da história afinal? São Paulo vai ou não substituir linux por windows?"

Já existe a resposta para essa pergunta?

Abração.

Rogério Fernandes said...

Pois é Sérgio, essa política escusa que a m$ usa é insuportável. Precisamos combater essa questão de injeção de dinheiro dela estar acima do bom senso e dos benefícios que a comunidade ganha com o software livre. Esses telecentros que adotam softwares proprietários da m$, com certeza existem acordos sem transparência e sempre alguém leva muito $$$ nisso. É a velha problemática de sacrificar milhões de pessoas em benefício de alguns e poucos bolsos fundos!!! Eu fico indignado, pois por baixo desses "acordos" sempre rolam muito lobby e ainda mais muito dinheiro "sujo"!!! Eu fico revoltado com isso e cada vez mais eu me torno um ativista xiita por conta dessas injustiças sociais "camufladas" com bom discurso e palavras bonitas de quem não entende nada, e agora "usando" os deficientes visuais, lembrados apenas nessas horas, ajudando a política de FUD dessa gigante vilã corporativista que não tá nem um pouco preocupada com desenvolvimento humano de ninguém, a não ser o bolso dos seus próprios acionistas... Fica aqui me desabafo!