Friday, January 18, 2008

ATAQUE À LIBERDADE DE EXPRESSÃO: JUIZ QUER PROIBIR GAMES COUNTER-STRIKE E EVERQUEST.




Uma decisão absurda pode virar moda no Brasil. A 17ª Vara Federal da Seção Judiciária do Estado de Minas Gerais considerou os games "EverQuest" e "Counter-Strike" "impróprios para o consumo". Em Goiás, os jogos já começaram a ser apreendidos. Não há nenhuma evidência científica que games que utilizam cenas de violência sejam mais nocivos do que as novelas da Globo e filmes como Tropa de Elite.

Esta decisão precisa ser denunciada, pois o que está em jogo é o direito que todos devem ter de acessar as realidades alternativas. A cibercultura e o ciberespaço permitem que possamos criar formas novas de entretenimento. Não podemos aceitar o cerceamento da dimensão lúdica. Esta decisão do judiciário viola a liberdade de pensamento e o direito ao entretenimento.

Considero mais prejudicial à saúde o programa do Faustão, por dissseminar o tédio e o baixo nível cultural, além de tentar consolidar uma estética baseada no comodismo e no espírito acrítico. Não é por considerar que o programa incentive o sedentarismo que devemos violar a Constituição e atacar a liberdade de expressão e de pensamento.

Um dos países em que os games violentos são mais disseminados é o Japão, outro é a Coréia. Neles os índices de violência não chegam nem perto dos registrados na Zona Sul de São Paulo, onde existem pouquíssimos computadores. A maior causa da violência na sociedade brasileira é a desigualdade e as péssimas condições de ensino. É a exclusão digital que cria mais revolta que o uso livre dos computadores para a diversão. Esta absurda decisão do Judiciário não tem fundamento científico, está baseada no preconceito e no mais tacanho senso comum.

O Ministério da Cultura deveria manifestar-se claramente contra este absurdo ataque à cibercultura.
Vamos escrever contra e alertar os ativistas que defendem a liberdade de expressão na rede.

Veja o link do PROCON de Goiás http://www.procon.go.gov.br/procon/detalhe.php?textoId=001072

13 comments:

Billy said...

Sergio,
Como podemos fazer uma carta prá mandar prá este monte de babacas que querem controlar nossa vida e nosso lazer de forma arbitrária ?
tens alguma idéia ?
Abraços,

Billy.

Caroline Arice said...

Penso que prefiro ver meu irmão de 9 anos jogando Counter-Strike do que assistindo ao Linha Direta.
Onde estará o bom senso?

jess said...

Sergio,
Me permita complementar um pouco mais o caso do Counter. Segundo uma notícia da UOL [1] o texto original do PROCON cita que:

"[no jogo counter strike] traficantes do Rio de Janeiro seqüestram e levam para um morro três representantes da Organização das Nações Unidas. A polícia invade o local e é recebida a tiros"

Perceba que eles estão claramente se referindo ao mod_rj. O mod_rj não é parte integrante do jogo e sim um arquivo de customização para o jogo, criado e distribuido por jogadores, e não pela EA Games (fabricante do Counter). Isso me faz achar os argumentos para a proibição extremamente fracos.

Além disso, de quando data o lançamento do Counter Strike? Quando foi a 'moda' do CS no Brasil? Ambos datam de muitos anos atrás. Será que foi necessária quase uma década para o CS se mostrar nocivo?

[1] http://jogos.uol.com.br/pc/ultnot/2008/01/18/ult182u7954.jhtm
que faz menção ao texto publicado em http://www.procon.go.gov.br/procon/detalhe.php?textoId=001092

GC said...

Luz, Sérgio! Muita luz! Estou com você na luta pela liberdade de expressão, mesmo que nossas diferenças atrapalhem de vez em quando.
Isso sem contar que esse caso beira o hediondo. Counter Strike é para maiores de idade e podemos interpretar isso como uma tutela do cidadão. O cidadão não tem que ser tutelado.
Eu tava me sentindo sozinha nessa luta da liberdade. Ainda mais agora que pegaram um produto que é um MOD, feito na nossa cultura numa espécie de antropogafismo da cultura alheia. Eu também acho que o Minc tem que se manifestar.

Beijos
Gabriela

claudiotorcato said...

Como pode um homem só decidi o que é bom para todos? E a liberdade de expressão, onde fica isso?

Ataliba said...

Porque não entrar com uma ação coletiva de várias pessoas contra o estado por estar violando o direito constitucional de ir e vir do cidadão ?
Garanto que voltariam atrás em pouco tempo ...

Anonymous said...

Olha, eu não acho que isso é uma questão de prefirir o conteúdo de jogos em relação ao da TV.
Isso é uma questão de sucumbir ou não a argumentos moralistas que estão mascarando o verdadeiro debate sobre comunicação social. Também é moralista condenar sob esse ponto de vista ou sobre aquele ponto de vista algumas manifestações na TV mesmo que o que se vise é atacar o poder do veículo. Isso está mascarando as coisas e impedindo o verdadeiro debate democrático.

Anonymous said...

Olha, eu não sei se é sonho, mas eu fui verificar a ação movida no site da justiça em MG.
Por favor, apurem e veja se confere
http://www.mg.trf1.gov.br/Principal/Cons_Detalhada.htm
Cliquem em Belo Horizonte
Digitem o número do processo:
2002.38.00.046529-6

O requerente da ação é mesmo o Ministério da Aeronaútica? Eu estou sonhando? É essa ação mesmo ou eu fui direcionado para outra ação?

Anonymous said...

Tem um blog colhendo assinaturas para enviar para o juiz.

http://gnalin.blogspot.com/2008/01/counter-strike-proibido.html

Eu não vou assinar

Anonymous said...

Lembrando que CS Rio é um mapa feito por certos criadores de mapa e não distribuido pelo EA...

Luiz Gómez said...

Jess,

esse foi o tempo que a Justiça deve ter levado para decidir. Ou então o tempo que o PROCON demorou para entrar com a ação. De qualquer forma, uma decisão como essa nunca irá prosperar, mas os juízes (a maior parte, com mentalidade do século passado), continuarão a dar decisões como essa.

falc4o said...

pois. é absurdo isso. inclusive, todas as ocorrencias cientificas apontam justamente o contrario. essa resistencia idiota aos videogames ainda vai dar muita dor de cabeça a muita gente. e é baseada basicamente em preconceito.

Anonymous said...

Para min a justiça está totalmente certa, tem é mais que proibir esses tipos de jogo. Ao invês dos jovens ficarem jogando jogos de "debil mental" ( RPG, 1ª pessoa, estratégia... ), tinham é que está programando, estudando novas linguagens de programação, resolvendo problemas de segurança, testando sistemas operacionais, isso sim tem futuro.