Tuesday, March 10, 2009

LEMBRANÇA DA VITÓRIA FEMINISTA EM PORTUGAL


Coloquei este post para lembrar que em Portugal, no ano retrasado, houve um plebiscito sobre o aborto. O argumento feminista venceu o obscurantismo:
"Educação sexual para escolher.
Contracepção para não abortar.
Aborto legal para não morrer."

5 comments:

lpereira said...

Tem um não a mais nessa propaganda. O aborto é "para morrer". Porque, embora em raríssimas ocasiões, o aborto salve uma vida (ao custo de outra, que fique claro), em todas as demais ele destrói vidas. O aborto em caso de risco de vida à mãe é permitido em quase todos os países do mundo, e era o caso em Portugal antes do plebiscito que permitiu o aborto recreativo, ou aborto contraceptivo.

profpardal said...

SAbes que faz muita falta as aulas de educação sexual nas escolas.
No entanto as 12h propostas pelo ME não são suficientes.

Ainda ontem uma aluna do 8º ano me perguntou o que eram erógenas. Eu lá tentei explicar da melhor maneira.

Também era importante nós professores termos formação nessa área pois penso que este tipo de informação não deve ser explicada de qualquer maneira.

Anonymous said...

Sem duvida o Brasil não e um país serio, eu nunca vi um debate justo com causas polemicas nesse país, alias, vi sim aquele plebiscito das armas, tentaram enganar o cidadaos ou coisa parecida, pois caso fosse favoravel a proibiçao, sem duvida somente os bandidos e os politicos poderiam andar armados, dai viveriamos mais acuados e refem deles como ja somos.

Como no senado eles tem mania de tornar as coisas hediondas, inventaram esta lei seca, pelos resultados nao adiantou muita coisa, pois o povo é mal educado no transito, ou seja, falta instruçao.

Educaçao sexual nas escolas, nao aquelas que mostrem vibradores e toda aquela parafernalia que aguça os sentidos sexuais, mas uma educaçao que aguça a moral e a responsabilidade de se fazer sexo.

"DE A CESAR O QUE DE CEZAR..."

Ana Frank said...

Ouvi hoje na Uol uma entrevista com o ministro da saúde Jose Temporão sobre a Legalização do aborto que é questão "em aberto" no país, o projeto lei elaborado pela comissão tripartite foi rejeito pela Comissão de Seguridade Social e Família, o ministro fala que o aborto não é método de concepção e que todos os dias morrem mulheres por praticar o aborto não legal. Aborto é uma questão de saúde publica a mulher tem o direito ao livre arbítrio sobre seu corpo e a Igreja e o Estado não deve decidir.
Saudações feministas e Tecnologicas!

vamos aprofundar as reformas! said...

Também morrem muitas pessoas, vítimas do estupro, que é ilegal.
Vamos 'descriminalizar' o estupro também?