Wednesday, September 19, 2007

NIETZSCHE-DELEUZE: VONTADE DE POTÊNCIA E MÁQUINA DE GUERRA...

Cheguei em Fortaleza no domingo, 16 de setembro. Fui convidado para participar do VIII SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE FILOSOFIA NIETZSCH-DELEUZE que neste ano teve como tema principal "Vontade de Potência, Máquina de Guerra". Assisti a impressioante exposição do Prof. Oswaldo Giacóia Jr (Unicamp) sobre o conceito de vontade de poder em Nietzsch. Foi tão clara quanto complexa. Outra exposição que me impressionou bastante foi a do Prof. Paulo Onetto (UGF-RJ) sobre "a vontade de potência como ferramenta de sismologia cultural".

Minha exposição denominada "redes de aprisionamento e redes de liberação: ambivalências e diversidades", ocorreu na segunda às 18h30. Fiz uma abordagem sociológica sobre o lugar do poder na sociedade em rede.

Fiquei extremamente bem impressionado com o alto nível do simpósio e dos participantes. Descobri um texto do Prof. Sylvio Gadelha Costa (da Universidade Federal do Ceará e um dos organizadores do simpósio), chamado "Educação, políticas de subjetivação e sociedades de controle", que foi publicado na coletânea "Novos Possíveis no Encontro da Psicologia com a Educação". No texto, a abordagem de Sylvio trabalha com a hipótese da mutação das sociedades disciplinares de Foucault para a sociedade de controle. Vale a pena refletir sobre estes conceitos. Considero que o pensamento de Foucault, Guattari e Deleuze é cada vez mais importante como instrumentos críticos da nossa realidade.

2 comments:

hdhd said...

opa!!! redes têm tudo a ver com rizoma, máquina de guerra, multidão, relações, ou seja, o espaço informacional é um quebra cabeça desmontado. Partes jogadas, desmontadas. Um pedaço do céu... uma montanha... um avião passando. Juntar todas estas imagens para criar um novo desenho. Montando uma nova realidade. Na Web fazemos bricolage. Desmantelamos o conhecimento em partes desconexas. E recriamos com uma forma particular. Cada um faz o seu próprio mundo.
abs, hdhd

luciolaluciola said...

Impressionante a apresentação do Sérgio no simpósio de Filosofia... discurso intenso e apaixonante.