Sunday, July 06, 2008

MANIFESTO EM DEFESA DA LIBERDADE E DO PROGRESSO DO CONHECIMENTO NA INTERNET BRASILEIRA



A Internet ampliou de forma inédita a comunicação humana, permitindo um avanço planetário na maneira de produzir, distribuir e consumir conhecimento, seja ele escrito, imagético ou sonoro. Construída colaborativamente, a rede é uma das maiores expressões da diversidade cultural e da criatividade social do século XX. Descentralizada, a Internet baseia-se na interatividade e na possibilidade de todos tornarem-se produtores e não apenas consumidores de informação, como impera ainda na era das mídias de massa. Na Internet, a liberdade de criação de conteúdos alimenta, e é alimentada, pela liberdade de criação de novos formatos midiáticos, de novos programas, de novas tecnologias, de novas redes sociais. A liberdade é a base da criação do conhecimento. E ela está na base do desenvolvimento e da sobrevivência da Internet.

A Internet é uma rede de redes, sempre em construção e coletiva. Ela é o palco de uma nova cultura humanista que coloca, pela primeira vez, a humanidade perante ela mesma ao oferecer oportunidades reais de comunicação entre os povos. E não falamos do futuro. Estamos falando do presente. Uma realidade com desigualdades regionais, mas planetária em seu crescimento. O uso dos computadores e das redes são hoje incontornáveis, oferecendo oportunidades de trabalho, de educação e de lazer a milhares de brasileiros. Vejam o impacto das redes sociais, dos software livres, do e-mail, da Web, dos fóruns de discussão, dos telefones celulares cada vez mais integrados à Internet. O que vemos na rede é, efetivamente, troca, colaboração, sociabilidade, produção de informação, ebulição cultural.

A Internet requalificou as práticas colaborativas, reunificou as artes e as ciências, superando uma divisão erguida no mundo mecânico da era industrial. A Internet representa, ainda que sempre em potência, a mais nova expressão da liberdade humana. E nós brasileiros sabemos muito bem disso. A Internet oferece uma oportunidade ímpar a países periféricos e emergentes na nova sociedade da informação. Mesmo com todas as desigualdades sociais, nós, brasileiros, somos usuários criativos e expressivos na rede. Basta ver os números (IBOPE/NetRatikng): somos mais de 22 milhões de usuários, em crescimento a cada mês; somos os usuários que mais ficam on-line no mundo: mais de 22h em média por mês. E notem que as categorias que mais crescem são, justamente, "Educação e Carreira", ou seja, acesso a sites educacionais e profissionais. Devemos, assim, estimular o uso e a democratização da Internet no Brasil.

Necessitamos fazer crescer a rede, e não travá-la. Precisamos dar acesso a todos os brasileiros e estimulá-los a produzir conhecimento, cultura, e com isso poder melhorar suas condições de existência. Um projeto de Lei do Senado brasileiro quer bloquear as práticas criativas e atacar a Internet, enrijecendo todas as convenções do direito autoral.

O Substitutivo do Senador Eduardo Azeredo quer bloquear o uso de redes P2P, quer liquidar com o avanço das redes de conexão abertas (Wi-Fi) e quer exigir que todos os provedores de acesso à Internet se tornem delatores de seus usuários, colocando cada um como provável criminoso. É o reino da suspeita, do medo e da quebra da neutralidade da rede. Caso o projeto Substitutivo do Senador Azeredo seja aprovado, milhares de internautas serão transformados, de um dia para outro, em criminosos. Dezenas de atividades criativas serão consideradas criminosas pelo artigo 285-B do projeto em questão. Esse projeto é uma séria ameaça à diversidade da rede, às possibilidades recombinantes, além de instaurar o medo e a vigilância. Se, como diz o projeto de lei, é crime "obter ou transferir dado ou informação disponível em rede de computadores, dispositivo de comunicação ou sistema informatizado, sem autorização ou em desconformidade à autorização, do legítimo titular, quando exigida", não podemos mais fazer nada na rede. O simples ato de acessar um site já seria um crime por "cópia sem pedir autorização" na memória "viva" (RAM) temporária do computador. Deveríamos considerar todos os browsers ilegais por criarem caches de páginas sem pedir autorização, e sem mesmo avisar aos mais comuns dos usuários que eles estão copiando. Citar um trecho de uma matéria de um jornal ou outra publicação on-line em um blog, também seria crime.

O projeto, se aprovado, colocaria a prática do "blogging" na ilegalidade, bem como as máquinas de busca, já que elas copiam trechos de sites e blogs sem pedir autorização de ninguém! Se formos aplicar uma lei como essa as universidades, teríamos que considerar a ciência como uma atividade criminosa já que ela progride ao "transferir dado ou informação disponível em rede de computadores, dispositivo de comunicação ou sistema informatizado", "sem pedir a autorização dos autores" (citamos, mas não pedimos autorização aos autores para citá-los). Se levarmos o projeto de lei a sério, devemos nos perguntar como poderíamos pensar, criar e difundir conhecimento sem sermos criminosos.

O conhecimento só se dá de forma coletiva e compartilhada. Todo conhecimento se produz coletivamente: estimulado pelos livros que lemos, pelas palestras que assistimos, pelas idéias que nos foram dadas por nossos professores e amigos... Como podemos criar algo que não tenha, de uma forma ou de outra, surgido ou sido transferido por algum "dispositivo de comunicação ou sistema informatizado, sem autorização ou em desconformidade à autorização, do legítimo titular"? Defendemos a liberdade, a inteligência e a troca livre e responsável. Não defendemos o plágio, a cópia indevida ou o roubo de obras. Defendemos a necessidade de garantir a liberdade de troca, o crescimento da criatividade e a expansão do conhecimento no Brasil. Experiências com Software Livres e Creative Commons já demonstraram que isso é possível. Devemos estimular a colaboração e enriquecimento cultural, não o plágio, o roubo e a cópia improdutiva e estagnante. E a Internet é um importante instrumento nesse sentido. Mas esse projeto coloca tudo no mesmo saco. Uso criativo, com respeito ao outro, passa, na Internet, a ser considerado crime.

Projetos como esses prestam um desserviço à sociedade e à cultura brasileiras, travam o desenvolvimento humano e colocam o país definitivamente para debaixo do tapete da história da sociedade da informação no século XXI. Por estas razões nós, abaixo assinados, pesquisadores e professores universitários apelamos aos congressistas brasileiros que rejeitem o projeto Substitutivo do Senador Eduardo Azeredo ao projeto de Lei da Câmara 89/2003, e Projetos de Lei do Senado n. 137/2000, e n. 76/2000, pois atenta contra a liberdade, a criatividade, a privacidade e a disseminação de conhecimento na Internet brasileira.


André Lemos, Prof. Associado da Faculdade de Comunicação da UFBA, Pesquisador 1
do CNPq.

Sérgio Amadeu da Silveira, Professor Titular Faculdade Cásper Líbero, ativista do software livre.

Henrique Antoun, Prof. Associado da Escola de Comunicação da UFRJ, Pesquisador
do CNPq.

Fernanda Bruno, Coordenadora da Linha Tecnologias da Comunicação e Estéticas do PPGCOM/UFRJ.

João Carlos Rebello Caribé, Publicitário e Consultor de negócios em Midias sociais.

Mônica Schieck, Doutoranda PPGCOM / ECO - UFRJ

José Maurício Alves da Silva, Jornalista e Programador Visual

Rogério da Costa, Filósofo, Prof do programa de pós-graduação em Comunicação e Semiótica da PUCSP.

Suely Fragoso, Professora Titular da Unisinos, Pesquisadora CNPq Nível II

Fátima Cristina Regis Martins de Oliveira, Coordenadora Adjunta do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UERJ.

Laan Mendes de Barros, Professor titular da Faculdade Cásper Líbero.

Marcos Palacios, Professor Titular, Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia.

Marta Vieira Caputo - PPGCOM - UNESP - Bauru - SP.

Prof. Dr. Evandro Vieira Ouriques, Coordenador do Núcleo de Estudos Transdisciplinares de Comunicação e Consciência-NETCCON.ECO.UFRJ e membro do Global Panel do Millennium Project da World Federation of United Nations Associations-WFUNA.

Paulo Carneiro da Cunha Filho, Coordenador do Programa de Pós-graduação em Comunicação da
Universidade Federal de Pernambuco.

Eduardo Freire, Coordenador do Curso de Jornalismo da Unifor.

Simone Pereira de Sá. Prof Adjunta - Dep de Mídia - UFF.

Profa. Regina Gomes, Universidade Católica do Salvador.

Raquel Recuero, Programa de Pós-Graduação em Letras UCPel.

Suzana Oliveira Barbosa, Doutora em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela UFBa e integrante do Grupo de Pesquisa em Jornalismo Online, GJOL/UFBA.

Gerson Luiz Martins, Grupo de Pesquisa em Ciberjornalismo (CIBERJOR/UFMS), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS.

Tattiana Teixeira - Jornalista. Pesquisadora e Professora de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Adriana Amaral - Professora Adjunta e Pesquisadora do Mestrado em Comunicação e Linguagens da UTP.

José Carlos Ribeiro - Prof. Associado ao Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

André Olivieri Setaro, Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia.

Sebastião Carlos de Morais Squirra, Universidade Metodista.

Eduardo Meditsch - Universidade Federal de Santa Catarina

Suzy dos Santos, professora da Escola e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFRJ.

Lia da Fonseca Seixas, Doutoranda em gêneros jornalisticos, Universidade Federal da Bahia.

Mirna Tonus, Universidade de Uberaba (UNIUBE)

Thiago de Morais Lins, estudante de Comunicação Social/ Jornalismo UFRJ

Paola Barreto Leblanc - Cineasta e Mestranda do PPG COM / ECO - UFRJ

Helen Amorim, publicitária e economiária

Cristiane de Magalhães Porto, Doutoranda do Programa Multidisciplinar de Cultura Contemporânea da Faculdade de Comunicação - UFBA.

Cláudio Renato Zapalá Rabelo, professor da Unidade de Conhecimento Comunicação Social da Faesa-ES, Novas tecnologias.

Yuri Almeida - Jornalista e pós-graduando na FJA/Ba.

Carlos Alberto Ferreira Lima, Professor da Universidade de Brasília.

Adalci Righi Viggiano, Mestre em Educação Tecnológica - CEFET-MG, Profa. Virtual da UFScar, Profa. do Cefet-MG e Profa. da Newton Paiva Virtual.

Jacques Jules Sonneville - UNEB Universidade do Estado da Bahia.

Marcia Benetti - professora do PPGCOM da UFRGS e diretora científica da SBPJor (Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo)

Francisco José Paoliello Pimenta, Professor Associado II Faculdade de Comunicação da UFJF
Campus de Martelos, Juiz de Fora - MG.

Jan Alyne Barbosa e Silva - UFBA.

Mauro Betti, Universidade Estadual Paulista- Campus de Bauru, Faculdade de Ciências
Departamento de Educaçao Física.

Fabiano Mazzini Bonisem, Prof. das Faculdades Integradas São Pedro - FAESA.

Solimar Garcia. Jornalista e Professora Universitária dos cursos de Gestão da UNIP - São Paulo.

Denise Maria Cogo, Professora do PPG em Comunicação da Unisinos, RS.

Ronaldo Henn - Professor pesquisador do PPG em Comunicação da Unisinos, RS.

Douglas Dantas Cardoso Gardiman - Sindijornalistas/ES

Leôncio Caetano de Farias, Graduando em Ciências Sociais - UFMG, Bolsista PIBIC - CNPq.

Paulo Munhoz, integrante do Gjol grupo de pesquisa em jornalismo on-line da UFBA.

Marcos Alves, Estudante de Jornalismo da Universidade Federal do Espírito Santo.

Macello Santos de Medeiros. Doutorando em Comunicação (FACOM/UFBA) e Professor do Centro Universitário Jorge Amado.

Roberto Abdala Junior, Centro Universitário do Leste de Minas - UnilesteMG, Cel. Fabriciano, Vale do Aço.

Alessandra Carvalho, prof. das Faculdades Integradas S. Pedro, Vitória-ES.

Beatriz Martins, Doutoranda ECA - USP, Pesquisadora do Colabor - USP.

Simone do Vale, Doutoranda ECO/UFRJ.

Erly Vieira Jr - Mestre em Comunicação, Imagem e informação pela UFF, Doutorando em Comunicação e Cultura pela UFRJ, escritor e cineasta.

Brunella de Lima França - Estudante de Jornalismo da Universidade Federal do Espírito Santo

Carla Andrea Schwingel - Doutoranda em Jornalismo Digital e Mestre em Cibercultura pelo Ciberpesquisa - PósCom-UFBA.

Marcelo De Franceschi, Com. Social - Jornalismo Universidade Federal de Santa Maria - RS
Diretório Acadêmico Mario Quintana (DACOM).

Júlio Vitorino Figueroa,
mestrando em Comunicação e Cultura Contemporânea pela Universidade Federal da Bahia.

Josemari Poerschke de Quevedo, Mestradando no PPGCOM UFRGS em Comunicação e Informação.

Rogério Christofoletti, Professor e pesquisador do Mestrado em Educação da Univali (SC).

Maria Lucilia Borges, Mestre e Doutoranda em Comunicação e Semiótica - PUCSP.

Karina Gularte Peres - Graduanda em Jornalismo/UCPel.

Marcos Aurélio Júnior, técnico especializado da webradio Uni-BH, mestrando em Comunicação Social pela UFMG.

Luciana Scuarcialupi, Ação Cultura Digital do Programa Cultura Viva do Ministério da Cultura.

Uirá Porã, Ativista do conhecimento livre.

Graciela Selaimen, Coordenadora executiva do Nupef/Rits - Núcleo de Pesquisa, Estudos e Formação da Rede de Informações para o Terceiro Setor.

José Carlos Ribeiro - Prof. Associado ao Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Silvana Louzada - UFF

Carlos Henrique Falci, Professor Adjunto III - PUC Minas; Membro do grupo de pesquisa Comunicação e redes hipermidiáticas do CNPq.

Marcelo Träsel, mestre em Comunicação e Informação, professor-assistente do Faculdade dos Meios de Comunicação Social da PUCRS, consultor em mídias sociais.

Iara Regina Damiani/NEPEF/UFSC

Herberto Peil Mereb Coordenador Organizacional da ONG AMIZ - Unidade de Formação e Capacitação HUmana e Profissional.

Ana Márcia Silva - Universidade Federal de Goiás.

Carlos Frederico de Brito d'Andréa, Universidade Federal de Viçosa.

Prof. Dr. Francisco Laerte Juvêncio Magalhães, Universidade Federal do Piauí

Erik Oliveira.

Paulo Francisco Slomp. Professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Marcos Cavalcanti, Coordenador do Crie - Centro de Referência em Inteligência Empresarial

Fábio Malini - Jornalista e Professor na Universidade Federal do Espírito Santo

Alex Primo - professor do Departamento de Comunicação da UFRGS

Rodrigo José Firmino, Professor em Gestão Urbana, Arquitetura e Urbanismo do Programa de Pós-graduação em Gestão Urbana, Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR.

Bruno Fuser, Coordenador do NP Comunicação para a Cidadania - Intercom.

Sergio Bicudo, Multimeios PUC-SP.

Lilian Starobinas, Doutoranda - FE-USP

Ana Laura Gomes - Senac/SP

Itania Maria Mota Gomes, Doutora, professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura
Contemporâneas/UFBA.

Verônica L. O. Maia, Antropóloga, consultora de projetos culturais e pesquisas.

Adilson Vaz Cabral Filho, Professor adjunto - Universidade Federal Fluminense.

Lylian Coltrinari, Professor Associado/FFLCH-USP.

Aníbal Francisco Alves Bragança, Professor e pesquisador (UFF - CNPq).

Gilberto Pavoni Junior, jornalista.

Marcelo Bolshaw Gomes, jornalista, doutor em ciencias sociais e professor de comunicação da UFRN.


ATENÇÃO - ESTOU ATUALIZANDO AS ASSINATURAS. Quem já deixou a adesão em um post neste blog terá o seu nome incluído no Manifesto. Quem ainda não assinou, por favor siga a sugestão do João Carlos Caribé. Ele propõe que todos passem a assinar o Manifesto no site da petition on-line. Ficará mais fácil para coletarmos os apoios.

Vamos assinar a divulgar PETITIONONLINE/VETO2008
http://www.petitiononline.com/veto2008/petition.html

84 comments:

game gambling online lottery said...

that doesn't happen everyday. wish you all the best.

Anonymous said...

Uma das razões da Internet ser livre e extremamente criativa é exatamente por jamais ter sido controlada ou projetada. Entretanto, a liberdade custa caro e deve ser utilizada de modo responsável. O que se deve fazer é investir em Educação para que atos como plágio, cópia indevida e roubo de obras sejam rechaçados pela própria sociedade. Mas, jamais deve-se tomar medidas que coibam a criatividade, a oportunidade de ler, de trocar experiências.

Fátima Conti, Prof. Associada, UFPA-ICB

raquel said...

Vou divulgar. :-)
Já te falaram da blogagem coletiva do dia 19?
Bj

raquel said...

Esqueci de "assinar".
Raquel Recuero - PPGL/UCPel

Anonymous said...

Eu já tô fazendo o possível para espalhar esta mensagem em tudo quanto é comunidade no Orkut e tenho feito isso desde sexta-feira...

Lilian said...

Vou replicar. Por favor, agreguem o meu nome.
Lilian Starobinas - Doutoranda - FE-USP

Ana Laura Merveilleuse said...

tb vou replicar.
ana laura gomes - senac/sp
www.webdemais.com.br

Anonymous said...

Caralhooooooooooooo

O Orkut decide ficar fechado para manutenção justo agoara?!?!?!

Helen said...

Assinem tambem a petiçao com aval de varias organizaçoes em
http://www.safernet.org.br/petitioner/projeto_lei_azeredo/index.html

Marcia said...

Sergio, quero assinar:

Marcia Benetti - professora do PPGCOM da UFRGS e diretora científica da SBPJor (Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo)

herdeirodocaos said...

Divulgado la no blog
herdeirododocaos.wordpress.com
Yuri Almeida - jornalista e pós-graduando na FJA/Ba

João Carlos said...

Quero assinar,
João Carlos Rebello Caribé
Publicitário e Consultor de negócios em Midias sociais

Diego said...

Diego Veríssimo Lakatos - Graduando em Física pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Socioleigo said...

Caro Sérgio, sua iniciativa é louvável. Não podemos permitir que este tipo de projeto sem escrúpulos ou embasamento consiga ser aprovado na surdina. A internet é livre, dinâmica, democrática, viva!

Não sei se conta muito, mas compartilharei suas idéias e este blog onde estudo e nas comunidades e fóruns que participo. E apóio este manifesto.

Leôncio Caetano de Farias
Graduando em Ciências Sociais - UFMG
Bolsista PIBIC - CNPq

Raphael Fucks said...

Já estou fazendo minha parte.
Todos devemos nos unir contra esse calhorda.
Isso é um retorno à ditadura,ao meu ver.

Raphael Fucks said...

Quase esqueço..
4º semestre de Administração-FAMAM-BA

Caroline said...

já tentei procurar mais informações no site do senado,mas não achei.tu tem algum link por aí pra chegar no tal projeto?
valeu free fellow
carol-student

Adriana Amaral (Lady A.) said...

Sergio, te mandei por email mas comento novamente aqui Adriana Amaral - Professora e Pesquisadora do Mestrado em Comunicação e Linguagens da UTP-PR

Caroline said...

meu amigo diz q esse senador já tentou uma vez e o senado não aprovou...e q essas tentativas de controle existem desde q a internet foi concebida..q achas?

Paulo Francisco Slomp said...

Subscrevo. Paulo Francisco Slomp. Professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

marcelo de franceschi dos santos said...

rubrico. Marcelo De Franceschi, Aluno de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Maria.

RC Lages said...

Caríssimo Amigo SAmadeu, buenas ;)

Deixo aqui meu apoio integral às manifestações que teu blog tem expressado em defesa das liberdades civis na Grande Rede. É vergonhoso como certos grupos se usam de péssimas práticas de alguns para impor controles sobre a sociedade de forma generalizada. A falta de bem definir as especificidades desses crimes, muitos abomináveis, para o mundo digital como visto nesse PL do Senador Azeredo, abre uma porteira muito grande para a supressão de nossa individualidade como cidadãos.

Ronaldo Cardozo Lages
rclages[at]softwarelivre.org
Fundador do PSL-RS, FISL, PSL-Brasil e ASL.Org
Florianópolis, SC

João Carlos said...

Sergio, conforme te falei segue o link da petição online desta carta http://www.petitiononline.com/veto2008/petition.html

Orlando G. da Silva said...

Aprendiz de pesquisador, sem vínculo no momento, assinando.

Maroto said...

Suely Fragoso, Professora Titular, Unisnos, RS, Pesquisadora CNPq Nível II

Helen Fernanda said...

Helen Fernanda Alves Martins
Jornalista pela Universidade Federal de Goiás
Pós-graduanda em Comunicação e Marketing pela Faculdade Araguaia (GO)

Karina Peres said...

Karina Gularte Peres - Graduanda em Jornalismo/UCPel

Eduardo Ferreira said...

rede que te quero rede.
de peixes livres.

eduardo ferreira
coordenador estadual/MT
projeto Casa Brasil

Rogério Christofoletti said...

Assino embaixo, Sergio. Abraço.

Rogério Christofoletti, Univali (SC)

REDE VIDADANIA said...

Estamos dentro por certo - Herberto Peil Mereb Coordenador Organizacional da ONG AMIZ - Unidade de Formação e Capacitação HUmana e Profissional - www.redevidadania.blogspot.com

Anonymous said...

tb quero assinar

Fabricio Castro, DJ Gorpo, DJ, electroproducer e estudante de design da UTP-PR.

flaviocpontes said...

Concordo e subscrevo-me!

Flávio Cardoso Ferreira Pontes
Programador Visual e Videografista
Estudante de Tecnologia em Sistemas de Computação - CEDERJ

Marcelo said...

Publiquei também: http://marcelo.softwarelivre.org

Vamos copiar em todos os blogs e divulgar em todas as listas.

abraços Sérgio

Jandré said...
This comment has been removed by the author.
Leonardo said...

Assino embaixo e divulgo no http://subbcultcha.blogspot.com

Leonardo Foletto
Jornalista pela UFSM,
Mestrando em Jornalismo pela UFSC.

Filipe Saraiva said...

Filipe de Oliveira Saraiva - Estudante de Ciências da Computação, pesquisador em Computação Evolutiva e Cibercultura, UFPI.

www.liberdadenafronteira.blogspot.com

fernando lima said...

Esse é o primeiro passo para a apropriação da rede ! Vou divulgar aqui na empresa

Rafael said...

Olá Sergio Amadeu!

Faço parde de um telecentro da rede Casa Brasil e quero saber se posso divulgar o link da Abaixo assinado pelo orkut?

Acho muito importante que esses numeros almentem...

Abraço!

jairpedrosa said...

Sergio, Já assinei a petição e estou divulgando em meu Blog e para toda a minha rede de amigos do terceiro setor. Abs. Jair Pedrosa
http://etica-social.blogspot.com/

Felipe said...

Felipe Pedreira de Miranda - Granduando em Publicidade e Propaganda - UNIFACS BA

Aline Corso said...

já assinei.

aline corso

Filipe Grillo said...

Filipe D. N. Grillo - Graduando em Ciências da computação no ICMC-USP São Carlos

ladyrasta said...

Só pra avisar que coloquei o banner no blog, e assinei a petição. E vou fazer um post para a blogagem coletiva.

bjs

Flavia

Luciana Silva said...

Estou divulgando.
Luciana Silva Oliveira
Graduanda em Letras pela Universidade Federal de Goiás.

bonecadepano said...

Realmente, nosso país está demonstrando que o mais importante é reinventar a roda em detrimento da divulgação das informações...
Numa era high tech como a que vivemos, não devemos nos ater a besteiras de um político anlafabeto tecnológico, ou mesmo um legislador que tem freak out ao ouvir falar em MP3, MP4, e outras variações...
Sou contra e sempre serei a um projeto de lei que impede o avanço de novas tecnologias!
Out, Senador Eduardo Azeredo!!!
Esse tipo de política é inerente apenas para os que desconhecem, e muito, os benefícios da tecnologia.
Maria Paula Mendes de Mattos, advogada, Pós-graduada em Processo Civil, estudante de Jornalismo da Faculdades Integradas de São Pedro, Vitória - ES. Vou Divulgar!!!

Juliana Dacoregio said...

Já assinei a petição on-line e farei um post com link para a petição.

Paulo said...

O site www.petitiononline.com não está respondendo. O site está no ar?

Sergio Bicudo said...

assinei o petition on line e já estamos divulgando na puc.

Sergio Bicudo
Multimeios PUC-SP

Marcelo Dal Pont said...

sergio ja assinei a petição e digo que esse projeto de lei é infeliz e retrogrado.

Bianca Santana said...

Assinei a petição.

Bianca Santana, jornalista.

Aline Reinhardt said...

Aline Reinhardt, graduanda de Jornalismo da Universidade Católica de Pelotas

Pedro Luiz de Oliveira Costa Bisneto said...

Professor,

Tem um erro no início da sua matéria: "a rede é uma das maiores expressões da diversidade cultural e da criatividade social do século XX."
Acho que o correto é século XXI, não?

Pode acrescer meu nome na lista de pessoas/pesquisadores que repudiam tais projetos de lei:
Pedro Luiz de Oliveira Costa Bisneto, mestrando da FACASPER.

Tauan Gomes said...

Assine ae...

Tauan Gomes, graduando de Sistemas de Informação na UNIRIO-RJ

hogwartslinux said...

Apoiado!

Fábio Emilio Costa - técnologo em Desenvolvimento de Software, usuário de Software Livre, ativista do Software Livre/Creative Commons, Grupo de Usuários BrOffice.org-São Paulo (GuBrO/SP)

Anonymous said...

ASSINO EMBAIXO!

Celio Pontes, graduando de Sistemas de Informação - UNIRIO

marcelochemim said...

Gostaria que meu nome fosse incluido:
Marcelo Chemim Gonçalves - Bacharel em Direito - CIESA/AM

Leandro Substance said...

Leandro "Substance" Borges
Professor Universitário (Publicidade e Proganda - Unitri - Uberlândia/MG), ilustrador, designer e ex-publicitário. Blogueiro e defensor da WEB 2.0 (flex, 16V ou com qualquer outra motorização)
Manifesto divulgado no www.obscureideas.blogspot.com e no www.oldblackgallery.blogspot.com.
Aliás, Sérgio, reproduzimos seu manifesto sem solicitar sua autorização. Se a lei passar, por favor não me mande para a cadeia pois tenho 3 cachorros pra cuidar.

Cristiano Freitas said...

Assinado Cristiano Freitas Cezar, bancario e sindicalista

Quézia M L said...

Manifesto minha desaprovação a esse absurdo.
Quézia Maria Lopes Gomes, graduanda em Comunicação Social pela UERJ.

Anonymous said...

adiciona aí meu nome, tou completamente de acordo com esse manifesto e quero dar meu apoio.

Thyara Caldeira Pontes, técnica em Informática, Espírito Santo

Jader França said...

Grande Sergio!!
Tenho grande adimiração pela a força que você está lutando por todos os usuarios da rede Brasileira!

Parabens!

Dentro da Ação!

Jader França, Representante Paraibano contra a Revolta!!

Fábio Buchecha said...

Fábio Melo, jornalista, fotógrafo e blogueiro.

Tem detalhes da blogagem coletiva no dia 19? Se tiver, por favor, compartilha comgio que eu estou por fora.

___________________________________
TemPraQuemQuer

nicnina said...

Total Apoio!!!


Nicole Bortoluzo Cassiano

Blogueira e futura Publicitária.

Ronaldo Costa said...

Uso a internet para pesquisa, aprendizado, atualização, divulgação das minhas idéias sobre minha área de atuação (Gestão da Qualidade). Meu filho também usa, minha esposa, meus amigos... Praticamente todo mundo que conheço usa a rede mundial para +/- as mesmas coisas. Seremos indiciados por formação de quadrilha? Seremos a primeira então a entrar no Guinness como a maior quadrilha do mundo!

Sarcasmo à parte, esse projeto é um absurdo! Ainda hoje irei divulgar também.

Furusho said...

O Livre-arbítrio é o maior bem que o homem possui. Através dele é que fazemos as nossas escolhas, boas ou ruins. Temos em nossas mãos as possibilidades de escolhas. Não podemos deixar que alguém decida pelas nossas escolhas, o próprio Criador deixou que fizéssemos nossas próprias escolhas, jamais impôs, tolhendo a liberdade de escolha. Mesmo sendo O Criador, com todos os poderes, ele sempre nos ensina, nos alerta e persuade através de seus servos e deixa que o próprio homem faça a sua escolha.
A liberdade de escolha é o maior bem do ser humano.

Vitorio Y. Furusho
Ativista de Software Livre
Movimento Software Livre Paraná
Celepar - Companhia de Informática do Paraná
Gubro-PR Grupo de usuários BrOffice.org do Paraná
BrOffice.org - Gerente de apostilas
Coordenador da Comissão de Estudos CE-21:034.00 ABNT (ODF, OOXML, ...)

Marcio Wesley Borges said...

Defecar-ei as veias do soro corrupto (Rui Barbosa)

Josemara Veloso said...

Quero assinar a lista - Josemara Veloso - jornalista e pós-graduanda em Cibercultura pela Facom/UFBA

usucapiao said...

Meus parabéns pelo senso cívico e pela coragem em começar essa petição que acredito que irá demonstrar a força e também a certeza que possui o internauta brasileiro consciente.

Anonymous said...

Incrivel a merda q da com alguns filhos da puta como esses na politica.... mas se preocupa nao.... esses merda ja tao cavando a tumba


o q posso dizer :S eh:

vem aki me prender seu senadorzinho do caralho...vo continuar baixando meus filmes e jogos(para uso pessoal, q por sinal, nao é crime!), guarda meu ip seu filho da puta e vem aqui pra gente conversar, viado!

:S

desculpa se esagerei... mas é repugnante essa lei....

Gustavo P Ferlizi said...

to na lista!!!!

Raul Izar said...

Cara, isso é uma tremenda sacanagem
parabéns pelo trabalho, já assinei o petition lá.

Suez said...

Mias um:
Anailton Santana
Acadêmico de Direito - UCSAL

Suez said...

Mais um:
Anailton Santana
Acadêmico de Direito UCSAL

blog do h said...

Prezado Sérgio,
está aí mais uma assinatura para o manifesto em defesa da liberdade e do progresso do conhecimento na internet brasileira.
Trazíbulo Henrique - prof. adjunto no Dexa/Uefs (Universidade Estadual de Feira de Santana)

loko said...

vai cuida do brasil seus fila da puta, por isso q esse pais ta uma bosta, inves de se preocupa com a violencia, com essa merda q o brasil, ficam ai robando dinheiro e kerem tira mais um beneficio do cidadao brasileiro, cambada de fila da puta!!!

JORGE RORIZ said...

O conhecimento é como a luz. Precisa ser difundido. É propriedade da humanidade. Claro que sou contra os crimes usados na internet. Inserir na lei contra os crimes usados na internet, a censura e a limitação da transferência e do acumulo do conhecimento é um grande retrocesso para a ciência, cultura e arte. Uma das características da internet é a memória potencializada. A capacidade de se combinar informações. Isto é democrático e ajuda a difundir o conhecimento para a humanidade principalmente para pessoas que não possuem condições financeiras para usar um meio mais barato de pesquisar conhecimentos. Vigiar, limitar, criminalizar o uso da internet é absurdo. É preciso repensar os conceitos sobre os direitos autorais.
Jorge Roriz - Jornalista e pesquisador de webjornalismo. Autor do estudo acadêmico: "A interatividade dos portais UOL e A Tarde Online".

Marcelo Cabral said...

e ainda tem quem não apoie este manifesto?
Liberdade para publicação...

Marcelo Cabral
Contador, graduando em administração UFPB
cabradm.blogspot.com

Andre said...

Publiquei tbm: www.tokiobr.net
Só um probleminha
Sobre o abaixo assinado que o Dr. está ajudando a organizar, preciso entrar em contato contigo, me adicione no msn: andre_hd@hotmail.com
Vocês procederam de forma incorreta na realização do mesmo, não exigindo nenhum dos requisitos para se impetrar uma ação desse tipo.
Gostaria de conversar, e quem sabe ajudar com minha TV online, mesmo porque é de meu interesse a não aprovação desta lei.
Grato pela atenção,
André Hakime Dutra
Graduando da Faculdade de Direito de Franca (direito) e da Universidade Federal de São Carlos (sistemas de informação)

AnalfaBlog said...

Desculpem, mas a pergunta que não quer calar é: Quanto esse snhor está recebendo pra isso? E de quem? Sabe, é muita ingenuidade pensar que o gesto deste parlamentar está cercado de altruísmo e respeito as leis e normas. Em época de eleições são cordeirinhos se lhes convem ou verdadeiros leões prontos para defender nossos interesses, e o meu espanto é para a nossa inigualável aptidão para sermos enganados. Mas dia a dia o povo vai se politizando, e... espere as eleições caro Sr. que a resposta será dada à altura. e pra nós do povo, como dizia o poeta: Entrega hoje tua liberdade, e amanhã vão querer tua vida!

AnalfaBlog said...

Ah, em tempo, em breve estarei colocando a matéria em meu blog, para veícular tambem! www.euseiquitupensa.blogspot.com

Blog de Socorro said...

Socorro Cabral - Jequié

Seu Xico said...

Link Bastaaante interessante:
Deixa o homem baixar

Apreciem com moderação!

aguni said...

Assino o manifesto, no meu entender não é um desserviço, e sim um crime.
E apelo ao senador que reflita sobre o manifesto.

Anonymous said...

[url=http://tinyurl.com/y9qxher][img]http://i069.radikal.ru/1001/35/75e72b218708.jpg[/img][/url]



Related keywords:
buy Tramadol from online pharmacy with saturday delivery
online Tramadol fedex next day delivery
buy Tramadol no prescription needed
legal Tramadol
order Tramadol cod overnight delivery
sales Tramadol
buy Tramadol from online pharmacy with saturday delivery
prescription what is Tramadol
[url=http://www.zazzle.com/AlexanderBlack]Tramadol cod saturday delivery [/url]
[url=http://seobraincenter.ru]http://seobraincenter.ru[/url]
buy cheap overnight Tramadol
money order Tramadol
false positive pcp Tramadol
Tramadol alltram ingredients
sales Tramadol
buy Tramadol saturday delivery
lowest cost Tramadol